Sobre

REIMAGINAR 2018 – Uma Revolução Radical de Valores

Dessa vez, o REIMAGINAR 2018 é construído no contexto das Eleições 2018, sob o signo de um governo sem legitimidade democrática, marcado por retrocessos nos direitos dos/as trabalhadores/as e na garantia de direitos de amplas populações e minorias. O Rio de Janeiro, em particular, onde será realizado o Festival, se encontra em situação de falência do estado frente aos desafios das políticas sociais, com parte de suas principais lideranças respondendo presas ou em liberdade a processos de corrupção, e sob uma intervenção militar que agrava o quadro de violação de direitos humanos das populações que vivem nas favelas e comunidades periféricas. O assassinato emblemático da vereadora Marielle Franco repõe não apenas o clima de insegurança que se vive nas grandes cidades brasileiras, mas a ousadia do crime organizado em eliminar lideranças políticas críticas aos desmandos dos poderes estabelecidos.

As rodas de conversas e diálogos do Reimaginar 2018 se darão em torno do tema “Uma Revolução Radical de Valores”, tendo como referência a memória dos 50 anos do assassinato de Martin Luther King, Jr. (1968-2018). Queremos nos inspirar no seu legado como pastor batista, ativista pelos direitos civis das pessoas negras afro-americanas, contra a pobreza e o militarismo, como eixo central para pensar os temas do nosso tempo e da nossa sociedade, no contexto de crescente conservadorismo e ameaça às liberdades.

2017

Em 2017, o Festival REIMAGINAR aproveitou as celebrações em torno dos 500 Anos da Reforma Protestante (1517-2017) para realizar entre 2 e 4 de novembro uma espécie de “virada online”, a fim de refletir sobre o legado da Reforma, olhando para as relações que o protestantismo/evangelicalismo tem estabelecido com a sociedade e cultura brasileiras. Ao evocar tema que foi exaustivamente examinado e celebrado por diferentes ramos do cristianismo e evangelicalismo global, latino-americano e brasileiro, mas tratando-o a partir de vozes e agendas silenciadas e marginalizadas, buscou-se trazer contribuições para a reimaginação da presença e participação dos evangélicos na vida social, cultural e política do país.

2016

Entre 9 e 11 de Setembro de 2016, aproximadamente 150 pessoas se reuniram nos arredores de Brasília, DF, para conversas corajosas a respeito de diferentes temas da vida social, buscando interagir com a Teologia, a Bíblia, a Missão e a Espiritualidade de matriz protestante/evangélica. Buscou-se analisar diferentes vetores da conjuntura que afetam a vida dos jovens, das mulheres, dos negros, das pessoas LGBTs e dos segmentos mais vulneráveis no Brasil. Palestrantes internacionais também contribuíram para a compreensão de como a vida desses segmentos em outras partes do mundo tem sido afetada.

O REIMAGINAR 2016 deu início a um processo de assentar as bases de um novo espaço de diálogo entre pessoas de matriz protestante/evangélica, progressistas de diferentes denominações e espaços de atuação social no Brasil, a respeito da sociedade e cultura brasileiras e nossas respostas missionais. Um novo espaço de encontro, troca e formação de diferentes coletivos, pessoas, militantes/ativistas e lideranças de diferentes regiões e aproximações às agendas de justiça, igualdade e Direitos Humanos em perspectiva evangélica e interseccional.