Para reimaginar a igreja no Brasil

Reimaginar a igreja no Brasil: 40 vozes evangélicas
Clemir Fernandes e Flávio Conrado (Orgs.)
Editora Novos Diálogos, 2017.
276pp.

Entender os sinais dos tempos para não ser devorado pela realidade difusa e confusa em que vivemos é um dos grandes desafios para uma sobrevivência que seja relevante e plenamente significativa da condição humana, especialmente de pessoas inconformadas com seu contexto e que lutam com esperança por construir um outro mundo possível.

As crenças religiosas e outros sistemas ideológico-filosóficas têm sido meios reiterados para muitas pessoas respirarem e buscarem compreender o mundo à sua volta com desdobramentos em aceitação ou resignação, por um lado, e/ou posturas de indignação e reação, por outro, aspirando reinventar um mundo menos sofrido e mais justo.

A religião cristã tem sido utilizada sobejamente por esses dois grupos, pendendo muitas vezes para aqueles que utilizam a fé até como crítica da realidade mas sem avançar ousadamente para enfrentar o que está posto na esperança de outra realidade mais marcada pela justiça, o amor e a paz.

Reimaginar a igreja no Brasil é uma coletânea de textos que reúne quarenta cristãs e cristãs pouco satisfeitos com a realidade do mundo e com a postura continuada de lideranças que detém poder para fazer a manutenção da (des)ordem injusta e que produz o inverso da mensagem de Cristo, que é vida abundante para todas as criaturas. REIMAGINAR A IGREJA partindo do Cristo e sua missão para construir uma nova realidade com base no evangelho da justiça é a proposta deste livro, que reúne perspectivas de mulheres e homens, jovens e adultos, pretas/os e brancas/os, brasileiras/os e latino-americanas/os, evangélicas/os e católico, da periferia e do centro, ativistas e acadêmicas/os, heterossexuais e homossexuais, de diferentes igrejas históricas e pentecostais, evangelicais e ecumênicos, enfim, diversa e plural como é a graça de Deus manifestada na maravilha multiforme de sua criação.

Neste tempo em que as igrejas lembram e celebram os 500 anos da Reforma Protestante, este livro procura rediscutir o sentido de ser cristão e sua ação num mundo em constantes e continuadas transformações. Para não ser engolido pelas esfinges de intolerâncias, dogmatismos e violências desse nosso tempo, para melhor discernimento da realidade e radicalização da mensagem potente e frágil, transtornadora e libertadora do amor de Cristo.